Autoridades sauditas executam cidadão por incesto

Riad, 10 abr (EFE).- As autoridades sauditas executaram nesta terça-feira um cidadão na cidade de Buraydah, 330 quilômetros ao norte de Riad, por perpetrar "o ato obsceno de incesto forçado" e por ter uma filha com a vítima, informou o Ministério do Interior.

O condenado, identificado como Said bin Hasan Kariri, teve relações forçadas com uma "mahrem", palavra árabe usada para se referir às mulheres de uma família com as quais está terminantemente proibido manter relações sexuais: mãe, filha, irmã, tia ou esposa de um irmão.

O comunicado afirmou que ficou decidido aplicar a pena capital contra o processado devido ao "horroroso" ato e porque tinha vários antecedentes penais.

Além disso, o Ministério assegurou que o ré era um assassino, consumia haxixe e álcool e conduzia sob influência destes.

A sentença, após a emissão, foi ratificada pelo Tribunal de Apelação e pelo Supremo e posteriormente, por um decreto real.

Na Arábia Saudita, as execuções costumam ser realizadas através de decapitação com sabre e são castigados com pena capital as pessoas declaradas culpadas de assassinato, estupro, narcotráfico, bruxaria, homossexualismo, adultério, entre outras.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos