Guterres condena uso de armas químicas e pede investigação na Síria

Nações Unidas, 10 abr (EFE).- O secretário-geral da ONU, António Guterres, condenou nesta terça-feira o uso de armas químicas contra a população civil e pediu que as últimas denúncias sobre o emprego desse tipo de armamento na Síria devem ser investigadas de forma imparcial por analistas internacionais.

O secretário-geral da ONU expressou indignação sobre os relatórios de uso de armas químicas na Síria e afirmou que se trata de uma clara violação do direito internacional.

Foi a segunda condenação de Guterres, que está em visita oficial à China, ao recente ao suposto ataque com armas químicas contra a cidade de Duma. Alguns países, como os Estados Unidos, acusam o regime de Bashar al Assad de ser responsável pelo incidente.

Para Guterres, especialistas da Organização para a Proibição de Armas Químicas (Opaq) devem ter acesso pleno, sem restrições ou impedimentos, para investigar as denúncias na Síria.

O secretário-geral também pediu que o Conselho de Segurança da ONU assuma sua responsabilidade e atue com unidade no caso, chegando a um acordo para a criação de um mecanismo que determine quem são os responsáveis pela utilização desse tipo de armamento na Síria.

O Conselho de Segurança se reuniu ontem para analisar as denúncias, mas a reunião terminou sem acordo. A Rússia negou ter havido um ataque químico em Duma, e os Estados Unidos ameaçaram responder ao incidente com ou sem o apoio da ONU.

O Kremlin anunciou hoje que apresentará uma resolução para permitir o acesso de especialistas da Opaq no local da denúncia. O órgão também recebeu um convite do governo da Síria para que seus investigadores visitem Duma.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos