Topo

Opaq enviará "em breve" uma equipe de investigação à cidade de Douma

10/04/2018 15h43

Haia, 10 abr (EFE).- A Organização para a Proibição de Armas Químicas (Opaq) informou nesta terça-feira que pediu à Síria para que "realize os trâmites necessários" para o envio de uma equipe de investigação da organização na cidade de Douma, na região de Ghouta Oriental, que foi alvo de um suposto ataque químico.

A Opaq explicou que a equipe da missão de investigação terá como objetivo "estabelecer os fatos relacionados" com as acusações do uso de armas químicas na cidade síria de Douma no sábado, afirmou a organização em comunicado.

"Este (pedido) coincidiu com uma solicitação da República Árabe da Síria e da Federação da Rússia para investigar as denúncias de uso de armas químicas em Douma. A equipe está se preparando para ir à Síria em breve", acrescentou a Opaq.

A organização garante que, desde que começaram as denúncias do suposto ataque químico em Douma no sábado, esteve recolhendo informações de "todas as fontes disponíveis e analisando" o material obtido.

A Síria convidou hoje a Opaq a enviar uma equipe de investigadores a Douma para, segundo o regime, responder "à campanha de difamação lançada por vários Estados ocidentais" contra o país árabe, acusada de lançar o suposto ataque químico contra civis nessa cidade.

A Syrian American Medical Society (Sams) e a Defesa Civil da Síria, duas organizações não governamentais apoiadas pelos Estados Unidos, asseguraram que pelo menos 42 pessoas morreram no sábado com sintomas de um ataque com substâncias tóxicas.

Nenhuma outra fonte confirmou que se tratou de um bombardeio com armamento químico e tanto o governo sírio como a Rússia, aliada do regime do líder sírio, Bashar al Assad, negaram o emprego deste tipo de armas em Douma.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Newsletters

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero receber