Equador desmente operações em região onde jornalistas foram sequestrados

Quito, 11 abr (EFE).- O ministro do Interior do Equador, César Navas, desmentiu nesta quarta-feira a realização de uma operação na região da fronteira com a Colômbia, onde uma equipe de profissionais do jornal "El Comércio" foi sequestrada no dia 26 de março.

"Queremos desmentir, por parte do Equador, das nossas Forças Armadas, da nossa Polícia Nacional, qualquer operação ofensiva na região", disse o ministro em uma entrevista coletiva.

Navas, porém, confirmou a existência de "ações de controle" na região depois do sequestro dos jornalistas do "El Comércio".

Segundo o ministro, após a notícia do sequestro, o governo do Equador pediu à Colômbia que não realize operações que possam comprometer a integridade dos três jornalistas sequestrados.

A entrevista ocorreu em resposta a notícias publicadas na imprensa dos dois países. Uma informação atribuída à "Frente Oliver Sinisterra", não confirmada, afirma que os jornalistas foram mortos por causa de operações na região onde estaria o cativeiro.

O ministro disse que está investigando a veracidade da informação divulgada pela imprensa, atribuída ao grupo comandado por Walter Patricio Artízala Vernaza, que antes fazia parte de uma das colunas das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

"Não há nenhuma interferência nos processos que estão sendo realizados pelas unidades especializadas da Polícia Nacional", garantiu o ministro durante a entrevista, contestando as informações divulgadas pelo grupo guerrilheiro.

O jornalista Javier Ortega, de 36 anos, o fotógrafo Paúl Rivas, de 45 anos, e o motorista Efraín Segarra, de 60 anos, foram sequestrados na região de Mataje, na província de Esmeraldas, no noroeste do país. Eles faziam uma matéria sobre as consequências dos ataques registrados na região desde janeiro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos