Província indonésia de Aceh elimina castigos públicos de condenados

Jacarta, 12 abr (EFE).- O Governo da província de Aceh, a única da Indonésia que é regida pela sharia ou lei islâmica, anunciou nesta quinta-feira que deixará de punir os condenados em público e que os castigos acontecerão dentro das prisões.

O decreto que introduz as mudanças, aprovado hoje, proíbe o acesso a menores de idade ao cumprimento da punição e que seja gravada com câmeras ou telefones, segundo um documento oficial ao qual a Agência Efe teve acesso.

O público poderá acompanhar, mas dentro da prisão e dependerá do seu número e da capacidade desta, detalhou o governador de Aceh, Irwandi Yusuf, ao jornal local "Detik".

O governador não especificou quando a medida entrará em vigor e os castigos deixarão de ser cumpridos em frente à mesquita desta província do norte da ilha de Sumatra.

As autoridades locais começaram a considerar a mudança na forma de implementar o castigo no ano passado após a primeira condenação de castigos públicos emitida contra dois homens culpados de manter relações homossexuais.

A atenção da mídia ao caso e o seu possível efeito sobre o investimento e o turismo fez com que as facções moderadas do Governo provincial e Jacarta propusessem terminar com os castigos públicos.

Aceh introduziu a sharia no início de 2000 após estrear seu estatuto autônomo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos