Islamitas paquistaneses param protesto após chegar a acordo com Governo

Islamabad, 13 abr (EFE).- Um partido político islamita pôs fim nesta sexta-feira aos protestos que fazia depois que as autoridades do Paquistão concordaram com as exigências com as quais se comprometeram em novembro do ano passado, quando bloquearam Islamabad durante 20 dias por causa de uma mudança na lei eleitoral que qualificaram de blasfêmia.

"O Tehreek-e-Labbaik Pakistan (TLP) finalizou os protestos depois que o Governo federal e o provincial (de Punjab) concordaram em cumprir o acordo do protesto", segundo o grupo islamita em comunicado.

Segundo eles, as autoridades tiveram acesso a registrar as denúncias por assassinato em relação aos manifestantes mortos nos protestos do ano passado e lhes entregaram a investigação sobre a emenda da lei eleitoral que consideraram blasfêmia.

Agora poderão determinar por eles mesmos quem realizou a polêmica mudança na lei eleitoral, no qual se modificou o enunciado do juramento dos cargos públicos de "eu acredito para eu juro que Maomé é o último profeta do Islã.

Além disso, o Governo provincial se comprometeu a retirar os casos contra os membros do partido acusado pelos protestos de novembro.

Vários centos de membros de TLP fecharam ontem à noite diferentes entradas de Lahore e ruas em várias cidades mais em uma escalada do protesto que realizavam na capital do Punjab desde o dia 2 de abril.

Esse protesto aconteceu porque o TLP considerou que o Governo central não tinha cumprido o acordo que fecharam em novembro de 2017 depois de 20 dias de bloqueio da principal entrada à capital.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos