Topo

Maduro pede "grande mudança" na Venezuela em 16º aniversário da revolução

13/04/2018 20h12

Caracas, 13 abr (EFE).- O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, pediu nesta sexta-feira uma "grande revolução" dentro do chavismo para adotar novos métodos no futuro do país.

"Precisamos de uma grande mudança revolucionária dentro da própria revolução. Precisamos de uma grande revolução para ter um futuro com novos métodos", afirmou Maduro em um ato militar de comemoração pelo 16º aniversário da volta ao poder de Hugo Chávez (1999-2013), após um fracassado golpe militar no país.

Maduro disse estar convencido sobre a "necessidade de mudar". Por isso, afirmou que dedicará todo seu tempo e esforço para expandir os horizontes da Venezuela. "O que a Venezuela quer é mais revolução, mais socialismo", disse o presidente do país.

O líder do chavismo, que completa 19 anos no poder, afirmou que fará de tudo para tornar a Venezuela uma potência estável, onde haja felicidade social e econômica.

"Que cada um coloque as mãos na massa e assumamos o compromisso de trabalhar pelo futuro, de renovar as nossas forças, de fazer tudo o que haja para fazer para mudar o que está ruim, para renovar o país, para chegar ao futuro", completou.

Maduro também afirmou que a oligarquia venezuelana está "frágil e isolada da realidade nacional" assim como os responsáveis pelo fracassado golpe de Estado de 11 de abril de 2002.

"Essa oligarquia está vivendo seu pior momento, mas não a subestimemos. Eles recuaram para conspirar desde o exterior e buscar como bater na Venezuela a partir de seus aliados: os bastardos da direita pró-imperialista da América Latina", disse Maduro.

Segundo Maduro, a direita venezuelana está "conspirando" em Washington, Madri e em Lima, mas, em todos os lugares, recebe a mesma resposta. "A Venezuela não se colocará de joelhos por nada nem por ninguém", concluiu o presidente.