Síria vive pior situação humanitária desde início da guerra, diz ONU

Nações Unidas, 13 abr (EFE).- A Síria vive atualmente a pior situação humanitária desde que em 2011 começou a guerra no país, afirmou nesta sexta-feira a Organização das Nações Unidas (ONU).

A organização fez um alerta sobre o "deslocamento em massa" de populações com mais de 700 mil pessoas que tiveram que deixar seus lares neste ano e a violência em muitas frentes.

O coordenador humanitário para a Síria das Nações Unidas, Panvos Moumtzis, destacou a gravidade da situação em zonas como Ghouta Oriental, Idlib, Afrin e Raqqa e o sofrimento de centenas de milhares de civis no terreno.

Na província de Idlib, de onde boa parte da população foi evacuada de zonas rebeldes recuperadas pelas forças governamentais, quase não há espaços para acolher mais gente, advertiu.

A ONU, além disso, lida com um problema neste ano de falta de fundos para atender às necessidades da população, disse Moumtzis em entrevista coletiva.

Por enquanto, a organização só recebeu 14,6% dos cerca de US$ 3,5 bilhões que solicitou para ações humanitárias na Síria em 2018.

Segundo Moumtzis, é o nível mais baixo neste momento do ano desde que começou o conflito sírio.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos