Hezbollah diz que "guerra" dos EUA contra Síria "não atingirá seus objetivos"

Beirute, 14 abr (EFE).- O grupo xiita libanês Hezbollah, aliado do Governo de Damasco, afirmou neste sábado que a "guerra lançada pelos Estados Unidos contra a Síria" em alusão aos bombardeios lançados por Washington e seus aliados europeus na capital e na província de Homs "não alcançará seus objetivos".

Através de um comunicado, o movimento, que mobilizou combatentes na Síria, condenou em um comunicado a "traiçoeira agressão tripartite americana-britânica-francesa contra a irmã Síria", e considerou "uma violação flagrante da soberania síria e a dignidade do povo sírio e de outros da região" do Oriente Médio.

Ele indicou no texto que os bombardeios representam "um apoio explícito e direto aos grupos criminosos, aos assassinos e ao terrorismo e acontece cada vez que são derrotados pelos heróis sírios no campo", em referência ao controle do Exército sírio, segundo a Rússia, sobre o que era o bastião opositor de Ghouta Oriental, nos arredores de Damasco.

"As declarações feitas para justificar esta agressão tripartite são pretextos contra a razão e a lógica e representam uma humilhação que inclui as Nações Unidas, o Conselho de Segurança e a chamada comunidade internacional", disse Hezbollah.

Para finalizar, o grupo xiita disse que "a nação (árabe) emergirá mais forte, determinada a enfrentar as agressões e vencer".

Os Estados Unidos, Reino Unido e França fizeram três ataques onde destruíram instalações associadas ao programa das armas químicas de Damasco por meios de ataques aéreos e mísseis projetados a partir de navios no Mediterrâneo dos três países.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos