Topo

Rússia responsabiliza veículos de imprensa ocidentais pelo ataque à Síria

14/04/2018 01h43

Moscou, 14 abr (EFE).- Os veículos de imprensa ocidentais que divulgaram informações sobre o suposto ataque com armas químicas contra a cidade de Duma, na Síria, são responsáveis da ofensiva lançada pelos Estados Unidos contra o regime de Bashar al-Assad, denunciou neste sábado, a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova.

"A Casa Branca declarou que sua certeza do ataque químico (por parte) de Damasco se baseia nos veículos de imprensa, informações sobre os sintomas (das vítimas), vídeos, fotos e informações de confiança. Após esta declaração, as mídias americana e ocidental devem entender sua responsabilidade" no ataque de hoje contra a Síria, escreveu Zakharova, no Facebook.

A diplomata russa recordou que "há 15 anos", para justificar o início da guerra contra o Iraque, "a Casa Branca usou um tubo de ensaio e seu secretário de Estado", Colin Powell.

"Agora, no lugar de um tudo de ensaio, Washington usa os veículos de imprensa", ressaltou.

Maria Zakharova denunciou, em referência aos Estados Unidos, que "por trás de tudo isto estão aqueles que reivindicam a liderança moral neste mundo, declarando seu monopólio" para defender a democracia.

"É preciso ser realmente exclusivo para atacar a capital (síria) agora que a Síria tem uma oportunidade para um futuro de paz", encerrou a porta-voz.

O embaixador da Rússia em Washington, Anatoly Antonov, advertiu hoje que o ataque lançado contra a Síria pelos Estados Unidos, Reino Unido e França terá consequências para estes países.

"Os piores presságios foram cumpridos, eles não escutaram nossas advertências e voltaram a nos ameaçar. Tínhamos advertido que estas ações não ficariam sem consequências. Toda a responsabilidade recai em Washington, Londres e Paris", disse Antonov, em uma declaração oficial divulgada pela Embaixada.

O chefe da legação diplomática russa em Washington qualificou de "inadmissível" as palavras do presidente dos EUA, Donald Trump, sobre a responsabilidade do líder russo, Vladimir Putin, no suposto ataque com armas químicas contra a cidade síria de Duma.

"Os ataques ao presidente são inaceitáveis e inadmissíveis. Os Estados Unidos, um país que tem o maior arsenal de armas químicas no mundo, não tem direito moral de culpar outros países", ressaltou Antonov.

Em sua aparição na Casa Branca para anunciar a ofensiva contra o regime de Bashar al-Assad, Trump lembrou que "em 2013, o presidente Putin e seu governo prometeram ao mundo inteiro que seria fiador na destruição das armas químicas na Síria".

"O recente ataque de Assad (contra Duma) e a resposta de hoje é o resultado direto da incapacidade da Rússia de cumprir suas promessas", disse Trump.

Os Estados Unidos e seus aliados lançaram esta madrugada três ataques contra instalações utilizadas, segundo o Pentágono, para a produção e armazenagem de armas químicas.