Topo

Projeções indicam vitória do europeísta Djukanovic nas eleições de Montenegro

15/04/2018 18h02

Podgorica, 15 abr (EFE).- Milo Djukanovic, candidato pró-Europa do governamental Partido Democrático dos Socialistas (DPS), foi eleito presidente de Montenegro no primeiro turno ao somar mais de 50% dos votos, segundo as projeções da apuração.

Djukanovic teria obtido 53,8% dos votos, de acordo com cálculos da ONG CeMI com 86% das urnas já apuradas, segundo a emissora de televisão pública "RTCG".

"Segundo estas projeções, não haverá um segundo turno, o presidente foi decidido no primeiro", declarou o diretor da CeMi, Zlatko Vujovic.

"Qualquer eventual oscilação não pode mudar o resultado, ou seja, não poderá levar a um segundo turno", acrescentou Vujovic, cuja organização tem acesso à apuração e cujos cálculos foram muito confiáveis nas últimas eleições.

O partido de Djukanovic, o DPS, também proclamou a vitória do seu candidato no primeiro turno das eleições.

Por sua vez, o candidato da maioria das formações opositoras, entre elas as pró-russas, Mladen Bojanic, ficaria em segundo lugar, com 33,6% dos votos, segundo essas estimativas.

A participação foi de 64%, segundo a CDT, outra das ONG que supervisionou as eleições no pequeno país de 630.000 habitantes.

Esta votação é a primeira desde que Montenegro se uniu à OTAN no ano passado e era um teste para Djukanovic, ex-primeiro-ministro e ex-presidente que apoia a integração europeia frente a vínculos mais estreitos com um aliado tradicional como a Rússia.

Djukanovic, o político dominante do país, e seu governamental DPS, dirigiram Montenegro durante quase 30 anos, desde a queda do comunismo na antiga Iugoslávia.

O presidente se elege para um mandato de cinco anos e, embora careça de poder executivo e tenha um papel mais protocolar, é um cargo de grande prestígio.

Se realmente vencer nestas eleições, Djukanovic voltaria à primeira linha política depois de ter deixado o cargo de primeiro-ministro em 2016 para se dedicar a assuntos pessoais, embora tenha se mantido na presidência do DPS.

O dirigente de 56 anos, considerado o pai da independência de Montenegro, conquistada em 2006 após pôr fim a uma união estatal com a Sérvia, foi seis vezes primeiro-ministro e já foi presidente em uma ocasião (1998-2003).

Djukanovic é uma figura polarizadora, considerado pelos seus partidários um fiador da estabilidade e das ambições europeias do país, enquanto para seus adversários é o criador de um sistema clientelista e corrupto que mantém sua legenda no poder.