Topo

Raquel Rolnik é homenageada no Uruguai e critica "desmanche da democracia"

16/04/2018 22h45

Montevidéu, 16 abr (EFE).- A arquiteta e urbanista brasileira, Raquel Rolnik, foi declarada nesta segunda-feira visitante ilustre de Montevidéu e dedicou esse reconhecimento a todos seus compatriotas que "estão agora envolvidos na resistência democrática no Brasil".

Rolnik está em Montevidéu para participar do seminário "Diálogos Urbanos", composto por jornadas de reflexão sobre as cidades e a habitação que teve hoje sua abertura no Palácio Legislativo da capital uruguaia.

A ex-secretária nacional de Programas Urbanos do Ministério das Cidades durante a primeira presidência de Luiz Inácio Lula da Silva elogiou o Uruguai e Montevidéu pela sua política centrada no "direito das pessoas".

"Neste momento, isto significa não só uma honra para mim, mas uma afirmação para todos os brasileiros neste momento de desmanche da democracia brasileira", declarou Rolnik.

A arquiteta considerou que, apesar da sua aparência formal, no Brasil há "claramente um Estado de exceção".

"Nós sabemos aqui no continente, com a experiência brasileira, mas também a argentina, a uruguaia e a chilena o que significa entrar em um Estado de exceção", acrescentou, provocando aplausos entre o público reunido no Salão dos Passos Perdidos do Palácio Legislativo.

Rolnik, que apresentará amanhã dentro do mesmo seminário seu livro "Guerra dos lugares: a colonização da terra e da moradia na era das finanças", destacou que " ter o Uruguai e Montevidéu neste momento é muito gratificante", não só para América Latina, mas para o mundo.

"O que vamos discutir aqui não tem somente um efeito local, tem um efeito de afirmação internacional", ressaltou.Rolnik terminou seu agradecimento gritando "Lula Livre!" e despertando uma nova onda de aplausos entre o público.