Topo

Papa e patriarca ortodoxo russo pedem diálogo na Síria

17/04/2018 11h58

Moscou, 17 abr (EFE).- O papa Francisco e o patriarca da Igreja ortodoxa russa, Cirilo I, pediram nesta terça-feira que haja diálogo na Síria para evitar um conflito mundial.

"Chamamos os líderes políticos a não permitir uma maior escalada da tensão, evitar confrontos e tomar o caminho do diálogo", assinalam em comunicado conjunto.

A nota adverte que as "incessantes hostilidades" no Oriente Médio, que tiraram a vida de "milhares de pessoas" e obrigaram "vários milhões" a deixar suas casas, "ameaçam se transformar em um conflito global".

"O mundo se aproxima de um perigoso ponto, do autêntico fracasso da cooperação e das relações internacionais", acrescenta o comunicado.

Diante dessa "terrível ameaça", o pontífice e o patriarca ortodoxo russo se dirigem aos líderes mundiais para que "assumam sua responsabilidade frente a seus povos, a humanidade em geral e perante a Deus".

"Também nos dirigimos aos países da ONU e, especialmente, aos membros do Conselho de Segurança para que lembrem do seu dever com a família dos povos e, em nome de Deus, lhes rogamos que superem as diferenças e trabalhem conjuntamente em prol da paz no mundo todo", destacam.

O metropolita Hilarion, chefe de Relações Exteriores da Igreja ortodoxa russa, indicou que o comunicado conjunto recebeu o apoio dos líderes das igrejas cristãs do Oriente Médio.

Um dia após os Estados Unidos, o Reino Unido e a França lançarem no último sábado um ataque conjunto contra a Síria, o papa Francisco se declarou "profundamente preocupado" com "a incapacidade" para acordar uma ação comum destinada à paz.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, que continua negando que Damasco tenha perpetrado um ataque químico contra a população civil na cidade de Duma, qualificou de "agressão" contra a Síria o ataque dos países ocidentais.