Polícia dos EUA segue buscando suspeito de tiroteio no Tennessee

Washington, 23 abr (EFE).- A polícia de Nashville (Tennessee) segue nesta segunda-feira em busca ao suspeito de um tiroteio que no domingo deixou quatro mortos e dois feridos em estado grave em um restaurante, depois de uma noite de buscas infrutíferas.

O Departamento de Polícia da Área Metropolitana de Nashville (MNPD, por sua sigla em inglês) informou no começo da manhã em sua conta oficial do Twitter que a operação para localizarao suposto autor do tiroteio, Travis Jeffrey Reinking, se prolongou por toda a noite.

"Não se tem reunido a ninguém (que possa ser identificado como suspeito de forma) crível. A busca continuará. Todas as escolas da área foram inspecionadas. A última vez que foi visto foi no domingo pela manhã atrás do edifício de seu apartamento", indica o tweet do MNPD.

Um empregado e três jovens clientes do restaurante morreram no tiroteio durante a madrugada de domingo em um restaurante da rede Waffle House no cidade de Antioch, a poucos minutos de Nashville.

Segundo a polícia local, Reinking estava parcialmente pelado quando aconteceu o tiroteio e fugiu depois que um dos clientes do restaurante conseguiu desarmá-lo, mas as autoridades acreditam que o homem pode ter mais armas em seu poder.

O Serviço Secreto confirmou no domingo que Reinking foi detido em julho de 2017 perto da Casa Branca, tentou entrar no complexo sem autorização depois de exigir uma reunião com o presidente americano, Donald Trump.

"Reinking disse ao Serviço Secreto que queria organizar uma reunião com o presidente Donald Trump. O Serviço Secreto pediu que Reinking deixasse a área e o deteve quando se negou, com acusações por traspassar uma barreira de segurança", afirmou em comunicado o agente especial Todd Hudson.

Dois jovens de 21 e 24 anos, feridas no tiroteio de domingo, seguem internados em estado crítico em um hospital de Nashville, enquanto outras duas pessoas já receberam alta.

O jovem que desarmou Reinking, James Shaw, explicou em entrevista coletiva no domingo que aproveitou um momento no qual Reinking parou para recarregar sua arma para atacá-lo.

"Em meu Instagram e Facebook, todos estão me chamando herói, mas quero que as pessoas saibam que de forma egoísta. Fiz completamente para salvar a mim mesmo", disse Shaw, de 29 anos.

"Sim, ao fazer isso salvei mais gente, mas não quero que as pessoas pensem que sou o Super-Homem e nem nada disso. Pensei que ia morrer, mas ele (Reinking) teria trabalho", acrescentou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos