Morre jovem palestino baleado na cabeça durante protestos em Gaza

Gaza, 28 abr (EFE).- Um adolescente palestino de 15 anos morreu neste sábado por causa de ferimentos causados por um disparo na cabeça do Exército de Israel durante os protestos de ontem, o quinto consecutivo com manifestações na Faixa de Gaza, informaram fontes médicas.

A vítima, identificada como Azam Eweida, foi baleado quando participava da manifestação de Rafah, ao sul do enclave, em um dos cinco pontos de protesto que há ao longo da fronteira com Israel, informou o porta-voz do Ministério da Saúde palestino, Ashraf al Qedra.

Com a morte de Eweida, sobe para quatro o número de palestinos que morreram baleados por israelenses na manifestação de sexta-feira, assim como pelo menos 178 feridos.

Desde quando começou, no dia 30 de março, a Grande Marcha do Retorno, organizada por setores sociais e políticos para reivindicar o fim do bloqueio e o regresso dos refugiados, morreram 44 palestinos, a maioria em manifestações, além de incidentes violentos na fronteira, e mais de 5 mil pessoas ficaram feridas.

O Exército israelense considera que o movimento islamita Hamas utiliza os protestos para cometer "ataques terroristas na fronteira" e advertiu ontem de "ataques sérios e irregulares" em uma tentativa de infiltração.

O Alto Comissário da ONU para os Direitos Humanos pediu ontem para Israel assegurar a prestação de contas dos responsáveis pelas mortes desde o início da mobilização e dos mais de 5,5 mil feridos.

Por sua vez, a Anistia Internacional pediu o embargo de armas a Israel considerando que está "matando e mutilando manifestantes que apresentam uma ameaça iminente" e assegurou que "armas militares de alta velocidade projetadas para causar danos máximos" estão sendo usadas".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos