Pompeo acredita que Kim Jong-un está preparado para desnuclearização

Washington, 29 abr (EFE).- O novo secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, afirmou neste domingo que teve uma "boa reunião" com o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, e saiu do encontro com a impressão de que ele está preparado para desnuclearizar a península.

Em sua primeira entrevista desde que assumiu o cargo, Pompeo contou detalhes da viagem à Coreia do Norte e da reunião com Kim.

"Tivemos uma boa conversa, ele estava muito preparado e espero que eu o tenha igualado nisso. Tivemos um longo papo sobre alguns dos temas mais difíceis entre os nossos países", explicou Pompeo, que ocupava o posto de diretor da CIA no momento do encontro.

"Eu tinha uma missão clara dada pelo presidente (Donald) Trump. Quando fui embora, Kim Jong-un entendeu essa missão exatamente como eu estou a descrevendo hoje. Ele concordou que estava preparado a pensar em um plano que nos ajude a conseguir a desnuclearização", explicou o novo chefe da diplomacia americana.

"Só o tempo dirá se vamos conseguir", disse Pompeo.

Um dos objetivos de Pompeo no encontro era preparar a futura reunião entre Trump e Kim, a primeira entre líderes dos EUA e da Coreia do Norte na história.

"Meu objetivo era tentar identificar se existia uma oportunidade real. Acredito que sim, ela existe. Quem sabe como serão as conversas? Há muito trabalho a fazer, mas tenho esperanças que as condições estabelecidas pelo presidente Trump nos deem uma oportunidade", afirmou Pompeo na entrevista.

Em discurso ontem em Michigan, Trump anunciou que a reunião com Kim deve ocorrer nas próximas três ou quatro semanas. O presidente americano também disse estar avaliando onde o encontro ocorrerá. Segundo a "CBS", as opções são Mongólia e Cingapura.

Na entrevista, Pompeo reiterou que o objetivo do governo americano é conseguir a desnuclearização completa, verificável e irreversível da Coreia do Norte.

"Usamos a palavra irreversível intencionalmente. Exigiremos provas da desnuclearização. Não faremos promessas, não aceitaremos só palavras. Buscaremos ações e fatos", indicou Pompeo.

"Nosso governo manterá os olhos abertos. Conhecemos a história, conhecemos os riscos. Será muito diferente. Negociaremos de uma maneira diferente", completou.

Nenhum presidente americano tinha aceitado até então se reunir com um líder da Coreia do Norte. Antecessores de Trump só tentaram estabelecer um processo de diálogo com Pyongyang.

A principal reunião ocorreu durante o governo de Bill Clinton, que passou anos tentando conter o programa nuclear norte-coreano e chegou a enviar Madeleine Albright, então secretária de Estado, para um encontro com Kim Jong-il, pai de Kim Jong-un.

O processo fracassou porque o regime de Kim Jong-il deu sequência ao seu programa nuclear.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos