Trump cogita Cingapura e fronteira entre Coreias para reunião com Kim Jong-un

Washington, 30 abr (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou nesta segunda-feira que Cingapura e a fronteira entre as Coreias são os dois lugares estudados pela Casa Branca para a realização da futura reunião com o líder norte-coreano, Kim Jong-un, o primeiro encontro da história entre os dois países.

"Estamos avaliando diferentes países, incluindo Cingapura", afirmou o governante americanodurante entrevista coletiva na Casa Branca com o presidente da Nigéria, Muhammadu Buhari.

Trump disse que também estuda a possibilidade de realizar o encontro na Casa da Paz, um edifício construído em 1989 na fronteira entre as duas Coreias que na semana passada foi o local escolhido para a histórica cúpula entre Kim e o presidente sul-coreano, Moon Jae-in.

O republicano já havia expressado nesta manhã no Twitter a possibilidade de ter o encontro nesse lugar ou na chamada Casa da Liberdade, também na fronteira entre as Coreias.

"Vários países estão sendo considerados para o encontro, mas, não seriam a Casa da Paz e a Casa da Liberdade, na fronteira entre as Coreias do Norte e do Sul, um lugar mais representativo, importante e durável que um outro país? Só pergunto", questionou.

Na coletiva de imprensa, Trump afirmou que a fronteira entre as duas Coreias é um bom lugar porque "se as coisas funcionarem, pode ser feita uma grande comemoração no lugar".

Na semana passada, Kim e Moon firmaram um acordo para alcançar a "desnuclearização total" da península coreana e se comprometeram a buscar um tratado de paz que ponha fim ao confronto entre a Coreia do Norte com a do Sul por causa da Guerra da Coreia, encerrada em 1953 com um cessar-fogo, mas não com um tratado de paz.

Segundo informou o governo de Seul durante o fim de semana, Kim também se comprometeu a desmantelar em maio o centro de testes atômicas diante de observadores e jornalistas estrangeiros, assim como se desfazer do arsenal nuclear se os Estados Unidos prometerem não invadir o país.

O encontro entre Trump e Kim está previsto para o fim de maio ou o início de junho, embora o americano tenha dito no último fim de semana que a reunião será "nas próximas três ou quatro semanas", o que representa uma leve antecipação a respeito das estimativas iniciais da Casa Branca.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos