Ince será o candidato à presidência do maior partido opositor da Turquia

Ancara, 4 mai (EFE).- O Partido Republicano do Povo (CHP, social-democrata) nomeou nesta sexta-feira Muharrem Ince como candidato para as próximas eleições presidenciais da Turquia, marcadas para o próximo dia 24 de junho.

"Serei o presidente de todas as formações políticas", prometeu Ince, em caso de vencer a disputa, em declarações retransmitidas pela emissora "CNNTurk".

"Quero falar nas praças sobre economia, política externa, agricultura e educação. Não vamos falar sobre eles (em referência ao presidente turco, Recep Tayyip Erdogan), faremos um debate intelectual", afirmou o candidato, após ser indicado em reunião do seu partido, em Ancara.

Ince, de 54 anos e nascido em Yalova, no noroeste da Turquia, é um veterano político do CHP e lutou duas vezes pela liderança do partido.

O candidato trabalhou como professor de física antes de ser eleito parlamentar quatro vezes consecutivas, de 2002 a 2015.

Durante seus anos como professor, dirigiu a Associação de Pensamento Atatürkista de Yalova, uma instituição que preserva a ideologia laica do fundador da República, Mustafa Kemal Ataturk.

Ince é conhecido pela sua boa oratória, e capacidade de se conectar com as bases do CHP, bem como com um eleitorado mais conservador e também com os cidadãos curdos.

Com a indicação de Muharrem Ince, todas as formações políticas apresentadas para as eleições presidenciais de junho já têm candidato.

O governante partido islamita AKP nomeou ontem seu líder, Recep Tayyip Erdogan, no poder desde 2002, antes como primeiro-ministro e agora como presidente.

O novo partido de centro-direita Iyi apresentou a candidata Meral Aksener; e o islamita moderado Saadet, sem representação parlamentar, Temel Karamollaoglu.

Por outro lado, o pró-curdo esquerdista Partido Democrático dos Povos (HDP), terceira força no Parlamento, propôs como candidato a seu ex-líder Selahattin Demirtas, em prisão preventiva desde novembro de 2016.

Segundo vários analistas e algumas pesquisas, Erdogan não tem assegurado os 50% dos votos no primeiro turno, por isso pode ser obrigado a concorrer com um candidato opositor no segundo turno, marcado para o dia 8 de julho.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos