Tigre mata cuidador de zoológico chinês acusado de vender "vinho de tigre"

Pequim, 10 mai (EFE).- Um cuidador de um zoológico de Guilin, no sul da China, que morreu após ser atacado por um tigre, era acusado de elaborar vinho medicinal com ossos desse tipo de animal, bebida que apesar de ser ilegal, continua sendo um dos elixires populares da medicina tradicional chinesa.

O incidente ocorreu na terça-feira quando o operário do Parque de Tigres e Ursos de Guilin estava limpando o local dos tigres, segundo publicou nesta quinta-feira o jornal "South China Morning Post".

Este centro, que não quis se pronunciar a respeito, esteve envolvido na polêmica desde 2007, quando veículos de imprensa chineses denunciaram a venda ilegal de ossos de tigre para elaborar vinho tradicional em uma destilaria de Guilin vinculada ao parque.

Os zoológico é lar de milhares de animais selvagens, entre eles 1,3 mil tigres, 400 ursos negros e 200 leões, assim como macacos aves e crocodilos.

A prática de fazer vinho a partir de ossos de tigre, muito prezado há séculos pela medicina tradicional chinesa, é atualmente ilegal, embora siga sendo elaborado e vendido a preços muito elevados.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos