Bélgica convoca embaixadora em Israel por ofender mortos em Gaza

Bruxelas, 15 mai (EFE).- O Ministério das Relações Exteriores da Bélgica convocou nesta terça-feira a embaixadora de Israel, Simona Frankel, para pedir-lhe explicações por declarações sobre os 60 mortos nos protestos na fronteira de Gaza, a quem qualificou como "terroristas".

Por sua parte, o primeiro-ministro belga, Charles Michel, condenou a violência na Faixa, que considerou "inaceitável" e pediu uma investigação internacional sobre a atuação do exército israelense, que abriu fogo contra a multidão que se aglomerava na cerca de separação entre Gaza e Israel.

Em declarações a um programa da emissora de televisão belga "RTBF" a diplomata israelense qualificou os falecidos como "terroristas".

"Lamento muita a morte de cada ser humano, embora sejam todos terroristas", afirmou Frankel.

O ministro de Relações Exteriores belga, Didier Reynders, disse que, "embora se possa escutar muitas coisas, há limites", segundo informa a agência "Belga".

"Nesta noite terei a oportunidade de reunir-me com o secretário-geral das Nações Unidas (António Guterres). Defenderei uma investigação internacional. Não pode haver impunidade. Há regras no direito internacional", declarou Michel em entrevista à emissora de rádio "RTL Info".

Nesse sentido, lembrou que seu Executivo havia se "distanciado" da decisão dos Estados Unidos de transferir sua embaixada de Tel Aviv para Jerusalém e que ele mesmo tinha condenado essa medida "unilateral" no parlamento belga.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos