Diretor da Oxfam no Reino Unido renuncia após escândalo no Haiti

Londres, 16 mai (EFE).- O diretor-executivo da Oxfam no Reino Unido, Mark Goldring, anunciou nesta quarta-feira que deixará seu posto no final deste ano para que a organização humanitária seja "reconstruída e renovada", após o escândalo dos voluntários que abusaram de vítimas no Haiti em 2010.

"Acredito que esta viagem será melhor liderada por alguém que traga uma visão fresca, energia e tenha um compromisso a longo prazo", afirmou Goldring em comunicado da organização, afirmando que o diretor-executivo continuará em seu posto até que seja encontrado um sucessor.

Os veículos de imprensa britânicos revelaram neste ano que trabalhadores da Oxfam organizaram orgias e contrataram prostitutas no Haiti pouco depois de esse país ser assolado por um terremoto há oito anos.

Goldring, que na década de 90 trabalhou como responsável da organização em Bangladesh, assumiu o posto de diretor-executivo no Reino Unido em 2013.

Em seus cinco anos no cargo, "supervisionou o crescimento dos trabalhos da Oxfam para atalhar a pobreza e suas causas profundas" e "assegurou que a Oxfam melhorava suas práticas de proteção após os abusos de funcionários no Haiti", segundo a nota.

A presidente da ONG no Reino Unido, Caroline Thomson, agradeceu a "dedicação e liderança" de Goldring e anunciou que "aceita" sua decisão de renunciar.

"Mark afrontou a maior prova de sua vida ao cuidar da crise que nos atingiu em fevereiro", sustentou Thomson.

Em 20 de fevereiro, Goldring compareceu perante uma comissão da Câmara dos Comuns e pediu desculpas pelo "dano que a (Oxfam) causou tanto ao povo do Haiti" como ao setor das organizações não-governamentais.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos