Odebrecht nega irregularidades na Bolívia e oferece colaboração à Justiça

La Paz, 17 mai (EFE).- A construtora Odebrecht negou nesta quinta-feira ter cometido qualquer irregularidade na Bolívia e está disposta a colaborar com a investigação iniciada no país sobre pagamentos de propina para funcionários do governo.

Em comunicado divulgado nos jornais locais, a filial da construtora brasileira destacou que, segundo os "relatórios oficiais referentes aos acordos de colaboração da Odebrecht com as autoridades de Brasil e Estados Unidos, na Bolívia não foi cometida nenhuma irregularidade ou ilícito".

A empresa afirmou que não participou nem tem envolvimento na construção do projeto rodoviário Roboré-El Carmén, um dos casos que está na mira das autoridades bolivianas.

"A Odebrecht participou na Bolívia de obras, principalmente de infraestrutura associada, em conjunto com empresas locais, junto às quais cumpriu a legalidade de todos seus contratos", indicou a nota.

O comunicado afirma que a filial boliviana da empresa presta serviços de assessoria técnica e de aluguel de equipamentos dentro do "mais estrito marco de legitimidade e formalidade, cumprindo com a nova política de ética, integridade e transparência".

O governo da Bolívia determinou a abertura de uma investigação depois da revelação no Brasil de que propinas teriam sido pagas para um órgão estatal de estradas do país já extinto. Esse órgão teve relação com obras com licitações vencidas pela Odebrecht.

Uma comissão parlamentar criada em abril investiga o caso.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos