Ímã acusado de estupro durante aulas é detido no Marrocos

Rabat, 29 mai (EFE).- Um ímã de uma mesquita na região de Al Haouz, no sul de Marrocos, foi detido após ser acusado de abusar sexualmente de sete meninas de entre 7 e 12 anos de idade, informou nesta terça-feira a ONG marroquina "Não toque no meu filho", que luta contra a pedofilia.

O detido, de 45 anos, era responsável da mesquita na cidade de Setti Fatma, a cerca de 60 quilômetros de Marrakech, e também ensinava às crianças o Corão, como costuma ser habitual nas zonas rurais de Marrocos.

O caso foi revelado quando uma das supostas vítimas, uma menor de 17 anos, denunciou perante a Gendarmaria Real que foi estuprada pelo ímã quando tinha oito anos.

"Nos solidarizamos com as meninas e com suas famílias e denunciamos o estupro das meninas por este ímã, que parece ser habituado a abusar sexualmente das menores", apontou a ONG, que reivindicou "máxima pena" para o acusado se os abusos forem provados.

O pai de uma das vítimas, entrevistado pelo site "lesiteinfo", explicou que o ímã sempre elegia uma menina, à qual pedia que saísse da aula e fosse realizar alguma tarefa doméstica em outro quarto, onde a seguia e abusava dela.

"Confiávamos nele, e além disso pagávamos, além do dinheiro beneficiente que também; foi um golpe pelas costas. Nunca o perdoaremos e queremos justiça", disse o pai.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos