Venezuela chama relatório de especialistas da OEA de "farsa midiática"

Washington, 29 mai (EFE).- A missão da Venezuela na Organização dos Estados Americanos (OEA) chamou o relatório elaborado por um grupo de especialistas designados pelo secretário-geral da instituição, Luis Almagro, de "grotesca farsa midiática".

O relatório produzido pelos especialistas aponta a existência de crimes contra a humanidade no país. No documento, os analistas afirmam que há "fundamentos razoáveis" para levar as denúncias contra o governo de Nicolás Maduro ao Tribunal Penal Internacional.

Em comunicado, a missão da Venezuela expressou "profunda rejeição" ao documento e considerou que ele é resultado de um procedimento que viola as regras do direito internacional e da OEA.

"Tal documento carece de valor jurídico, pois emana de uma autoridade usurpada. O secretário-geral se dá uma atribuição que nem a própria OEA tem, a de ser uma instância judicial. Em tal sentido, (o relatório) não passa de uma grotesca farsa midiática", afirmou o governo da Venezuela na nota publicada pela missão do país.

O relatório foi elaborado a partir de 26 depoimentos de pessoas que foram ouvidas em audiências realizadas no ano passado na OEA, de dezenas de testemunhos de vítimas entregues à instituição e de documentos de mais de 40 organizações não-governamentais.

Desde o início, a Venezuela classificou as audiências como ilegais, mas Almagro afirmou que a investigação foi realizada para cumprir o acordo firmado com o TPI em abril de 2011.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos