EUA vetam resolução árabe que pedia proteção internacional para palestinos

Nações Unidas, 1 jun (EFE).- Os Estados Unidos vetaram nesta sexta-feira no Conselho de Segurança da ONU uma resolução impulsionada pelos países árabes para condenar a resposta israelense aos recentes protestos em Gaza e pedir proteção internacional para os palestinos.

O texto proposto pelo Kuwait recebeu dez votos a favor, quatro abstenções e um único voto contra, o dos EUA, que como membro permanente do Conselho de Segurança tem direito de veto.

Reino Unido, Polônia, Holanda e Etiópia foram os países que optaram pela abstenção, enquanto outros como França, China, Suécia, Peru e Bolívia se pronunciaram a favor.

Os EUA já tinham antecipado sua intenção de bloquear a resolução, que considerava "grosseiramente parcial" por não assinalar a responsabilidade do Hamas, organização que Washington culpa pela recente escalada da violência em Gaza.

"A resolução põe toda a culpa em Israel", protestou a embaixadora americana, Nikki Haley, pouco antes da votação.

Haley propôs ao Conselho de Segurança um texto alternativo, centrado em denunciar as ações do Hamas, e advertiu que quem apoiasse a proposta árabe estaria prejudicando as perspectivas de paz no Oriente Médio.

Israel vinha qualificado há dias essa resolução como "vergonhosa".

O Kuwait, que é o representante árabe no Conselho, apresentou seu texto há duas semanas ao demais membros e, desde então, o suavizou para tentar conseguir o máximo de apoios, sobretudo na questão da proteção dos palestinos.

Enquanto a minuta inicial pedia o estabelecimento de uma força internacional, o votado finalmente se limitava a pedir ao secretário-geral da ONU, António Guterres, recomendações sobre essa possibilidade.

O texto, além disso, criticava o uso excessivo da força por parte de Israel e o lançamento de projéteis de Gaza contra áreas com civis israelenses.

Os EUA, grande aliado de Israel, defenderam nas últimas semanas a resposta israelense aos protestos na fronteira de Gaza, nas quais dezenas de palestinos morreram em ações das forças de segurança israelenses.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos