Manifestação por transparência em eleições termina com 18 feridos no Mali

Bamaco, 2 jun (EFE).- Uma manifestação convocada neste sábado em Bamaco, capital do Mali, para exigir do presidente do país, Ibrahim Boubacar Keita, transparência nas eleições do próximo dia 29 de julho terminou com 18 feridos após confronto com a polícia.

Em entrevista à imprensa ao sair de um hospital para onde foram levados alguns dos feridos nos confrontos, o líder da oposição no Mali, Soumalia Cissé, disse que a luta vai continuar.

A polícia usou bombas de gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes que tinham se reunido na Praça da Liberdade, no centro de Bamaco, como pôde constatar a Agência Efe no local.

Participavam dos protestos políticos da oposição, candidatos às eleições presidenciais, como Cissé e Mamadou Igor Diarra, assim como ativistas de direitos humanos e críticos do governo.

O governo tinha proibido a manifestação e justificou a decisão usando o estado de emergência decretado no país, mas os organizadores decidiram manter o protesto.

O presidente do Mali anunciou na última quinta-feira em discurso que tentará a reeleição para um segundo mandato.

Keita venceu as eleições de 2013 com 70% dos votos, o primeiro pleito depois do golpe militar de 2012, que depôs Amadou Toumani Touré. Desde então, o país enfrenta uma grave crise política e de segurança. Grupos rebeldes aproveitaram o golpe para tomar o norte do país, mas foram expulsos por uma intervenção militar internacional liderada pela França.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos