Giuliani diz que Trump "provavelmente" poderia indultar a si mesmo

Washington, 3 jun (EFE).- Rudolph Giuliani, ex-prefeito de Nova York e advogado do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse neste domingo que o líder "provavelmente" poderia indultar a si mesmo caso tenha uma acusação contra si.

"Isto é o que diz a Constituição. E se quiser mudá-la, muda-se. Mas, sim", disse o polêmico advogado em entrevista com a emissora "ABC".

No entanto, Giuliani afirmou que Trump não tem "nenhuma intenção" de indultar a si mesmo.

"Acho que as consequências políticas disso seriam duras. Uma coisa é indultar outra pessoa, outra é indultar a si mesmo", explicou o advogado.

Em outra entrevista à "NBC", o ex-prefeito de Nova York disse que se Trump chegasse a usar o perdão presidencial para si mesmo, o Congresso abriria "imediatamente" um processo de cassação ou "impeachment".

"Seria impensável", afirmou.

Embora Trump não tenha sido acusado de nada, em Washington especula-se muito sobre as intenções do procurador que investiga a trama russa, Robert Mueller, caso sejam encontradas provas contra o presidente.

Mais precisamente, os rumores apontam que Mueller poderia atribuir um crime de obstrução à Justiça.

O procurador, de fato, quis interrogar Trump, mas até o momento os advogados do presidente o desaconselharam.

Trump questionou insistentemente o trabalho de Mueller, que há um ano que investiga a suposta interferência do Kremlin nas eleições presidenciais americanas de 2016 e os possíveis laços entre a campanha republicana e funcionários russos.

O presidente americano afirmou que a investigação é uma "caça às bruxas" e as especulações sobre a possível demissão de Mueller estiveram sempre presentes.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos