PUBLICIDADE
Topo

Índia anuncia investigação "imediata" dos novos Panama Papers

21/06/2018 13h04

Nova Délhi, 21 jun (EFE).- O Ministério de Finanças da Índia anunciou nesta quinta-feira uma investigação "imediata" dos novos documentos dos Panama Papers, e afirmou que um exame dos textos revelados em 2016 permitiu descobrir cerca de 144 milhões de euros de "investimentos secretos no exterior".

"A publicação hoje nos veículos de imprensa dos Panama Papers 'será investigada imediatamente pelas agências governamentais'" sob o comando de um grupo de trabalho formado por vários organismos públicos, afirmou o ministério em comunicado.

O Governo estudará o novo vazamento publicado pelo Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (ICIJ) "em um período de tempo razoável", segundo o comunicado.

O ministério disse que até agora averiguou 74 contribuintes vinculados ao primeira rodízio de documentos divulgados em março de 2016, detectando investimentos no exterior não declarados no valor de cerca de 11,4 bilhões de rúpias.

De acordo com o comunicado, o Governo indiano apresentou denúncias em 16 casos.

Segundo o jornal local "Indian Express", colaborador do ICIJ, pelo menos 12 mil dos quase 1,2 milhão de novos documentos publicados hoje estão vinculados a cidadãos indianos.

O escândalo dos Panama Papers de 2016 abrange mais de 11,5 milhões de documentos do escritório panamenho Mossack Fonseca, especializado na gestão de capitais em paraísos fiscais.

A publicação dos papéis atingiu a personalidades do tamanho do presidente argentino, Mauricio Macri; o ex-primeiro-ministro britânico David Cameron, o jogador Lionel Messi; membros do círculo íntimo do presidente russo, Vladimir Putin; ou o então primeiro-ministro da Islândia, Sigmundur David Gunnlaugsson, que teve que renunciar devido ao escândalo.