PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Restaurante se nega a servir jantar a porta-voz da Casa Branca

23/06/2018 14h49

Washington, 23 jun (EFE).- O dono de um restaurante da cidade de Lexington (Virgínia, Estados Unidos) se negou na noite desta sexta-feira a servir um jantar à porta-voz da Casa Branca, Sarah Huckabee Sanders, e sua família, segundo confirmou a mesma neste sábado em sua conta no Twiteer.

O incidente aconteceu no restaurante The Red Hen (A Galinha vermelha, em português), fundado em 2008 em Lexington, a três horas em carro de Washington.

No Twitter, Sarah explicou hoje que o proprietário do restaurante pediu que ela fosse embora porque trabalha para o governo do presidente americano, Donald Trump, que nos últimos dias recebeu várias críticas à sua política de separar famílias de imigrantes na fronteira com o México.

"Ontem à noite o dono do Red Hen em Lexington, Virgínia, me disse para que eu fosse embora porque trabalhava para o @POTUS - sigla de Presidente dos EUA em inglês - e eu saí educadamente", explicou Sarah.

"Suas ações dizem mais sobre ele do que sobre mim. Sempre faço tudo o que posso para tratar as pessoas de forma respeitosa, inclusive aquelas com os quais discordo, e continuarei fazendo", acrescentou.

O incidente foi muito comentado ontem à noite nas redes sociais devido a uma postatem no Facebook de Jaike Foley-Schultz, que diz ser um dos garçons do restaurante.

Foley-Schultz escreveu: "Acabo de atender Sarah Huckabee Sanders por um total de dois minutos, antes de meu chefe expulsá-la com sete membros da sua família".

O comentário foi reproduzido por diferentes organizações sociais, entre elas o grupo ecologista Clean Virginia, e acabou suscitando uma batalha entre partidários e opositores de Sarah nas páginas do estabelecimento e no Facebook e no Yelp, um site destinado a qualificar os restaurantes.

A porta-voz, um dos rostos mais conhecidos do governo, não foi a única a passar por um incidente em um restaurante nesta semana.

Na terça-feira, a secretária de Segurança Nacional dos EUA, Kirstjen Nielsen, estava há uma hora jantando no restaurante mexicano MXDC, a duas quadras da Casa Branca, quando várias pessoas entraram aos gritos de "que vergonha!" e "acabe com a separação familiar!".

O episódio foi gravado em vídeo e as imagens viralizaram nas redes sociais.

Internacional