PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Erdogan vence eleições presidenciais da Turquia

24/06/2018 20h49

(Atualiza com números novos e reconhecimento da oposição).

Ilya U. Topper.

Istambul, 24 jun (EFE).- O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, conseguiu seu objetivo de assumir todo o poder Executivo do país, ao vencer neste domingo as eleições presidenciais antecipadas.

Erdogan obteve 52,5% dos votos, muito próximo à porcentagem que obteve em 2014, quando assumiu o cargo, informou a agência semipública "Anadolu" após a apuração de 99% das urnas.

"Temos os resultados não oficiais. De acordo com eles, a nação me deu o mandato de presidente e de ser o chefe do Executivo", disse o político em discurso transmitido ao vivo pela emissora "NTV"

Erdogan ressaltou que a mesma apuração também aponta uma cômoda maioria para a coalizão Cumhur (Público), integrada por seu partido, o Justiça e Desenvolvimento (AKP), que governa a Turquia desde 2002, e o direitista Movimento de Ação Nacionalista (MHP).

A oposição, que num primeiro suspeitou de parcialidade na apuração, reconheceu a derrota e o social-democrata Muharrem Ince, candidato do Partido Republicano do Povo (CHP), aceitou a vitória de Erdogan em declarações à emissora turca "Fox TV".

"Claro não era uma competição justa, mas aceito que Erdogan ganhou", disse Ince, que obteve 30,7% dos votos.

O terceiro na disputa foi o candidato esquerdista Selahattin Demirtas, que cumpre prisão preventiva há um ano e meio, com 8,3% dos votos, seguido por Meral Aksener, ex-ministra do Interior, com um 7,4%.

A Plataforma Justiça Eleitoral - formada pelo CHP, o nacionalista Partido IYI e várias organizações cívicas -, que inicialmente divulgava resultados diferentes dos da "Anadolu", também acabou dando a Erdogan a maioria absoluta dos votos, com 52%.

A partir de agora, Erdogan não só será o chefe de Estado, mas também o de Governo, já que com estas eleições entra plenamente em vigor a reforma constitucional de 2017, com a qual foi abolida a figura do primeiro-ministro.

O presidente ostenta, assim, praticamente todos os poderes na República, dado que tem, além disso, teria poder de nomear a grande parte da cúpula do Judiciário e pode inclusive promulgar leis por decreto, embora o Parlamento ainda tenha a possibilidade de anulá-los.

O porta-voz do AKP, Mahir Ünal, destacou que a participação nas urnas foi de 87%, um nível recorde.

Os resultados parciais das eleições parlamentares, que foram realizadas hoje simultaneamente com as presidenciais, também dão uma vantagem clara à coalizão formada pelo AKP e o Movimento de Ação Nacionalista (MHP).

Embora o AKP, com 42,5% dos votos e 293 cadeiras, não tenha chegado à maioria absoluta, os 49 deputados do seu parceiro de coalizão lhe permitem legislar com folga no Parlamento, que tem 600 assentos no total.

A votação aconteceu com relativa calma, embora com algumas ocorrências, como um confronto em um colégio eleitoral na província de Erzurum, no leste de Anatolia, onde três pessoas morreram em um tiroteio.

No incidente, ocorrido no município de Karaçoban, morreram o chefe local do Partido IYI e outros dois cidadãos, segundo o jornal "Birgün", enquanto o jornal "Habertürk" atribui o caso a uma briga entre famílias e fala de dois mortos.

No início da votação, o CHP denunciou tentativas de fraude na província sudeste de Sanliurfa e a Comissão Eleitoral Suprema confirmou que foram tomadas "medidas administrativas e judiciais a respeito".

Internacional