PUBLICIDADE
Topo

Aos 117 anos, morre a mulher mais velha de Cuba

26/06/2018 12h19

Havana, 26 jun (EFE).- A cubana María Emilia Quesada Blanco, a pessoa mais velha de Cuba e uma das mais idosas do mundo, apesar de não constar em registros internacionais, morreu aos 117 anos, em Cienfuegos, onde nasceu, informou nesta terça-feira o jornal local "5 de Septiembre".

Nascida em 5 de janeiro de 1901, María Emilia era bem humorada e mantinha uma alimentação regrada, o que fazia com que tivesse uma vida saudável. Em 2017, ela entrou para o quarto lugar da lista de centenários publicada pela Wikipedia.

"Mima", como era conhecida na cidade, envelheceu sem doenças graves, mas foi perdendo lentamente as habilidades, apesar de manter uma "assombrosa lucidez", de acordo com a publicação. María Emilia não se casou e não teve filhos e passou os últimos anos perto dos sobrinhos. O enterro está marcado para hoje à tarde.

"Vivi alegrias e tristezas, como todo mundo. No meu aniversário fizeram uma festa com várias pessoas da pessoas da terceira idade. Me senti bem, recebi presentes e passei um dia tranquilo", disse ela, em uma entrevista publicada em março do ano passado pelo mesmo jornal.

Atualmente, Cuba tem 2.150 pessoas com mais de 100 anos. O envelhecimento e a baixa taxa de natalidade são os grandes desafios demográficos da ilha, onde 20,1% da população tem 60 anos ou mais. De acordo com vários estudos, esse número chegará a 30% em 2030.