PUBLICIDADE
Topo

Nepal anula proibição de escalar o Everest para biamputados e cegos

27/06/2018 12h17

Katmandu, 27 jun (EFE).- A Suprema Corte do Nepal anulou nesta quarta-feira uma lei que proibia as pessoas cegas e biamputadas de escalar o Everest, uma legislação que tinha sido qualificada de discriminatória em relação aos portadores de necessidades especiais.

A máxima autoridade judicial do país rejeitou a emenda ao Regulamento de Expedições de Montanhismo introduzido pelo governo no ano passado, afirmou à Agência Efe o denunciante Madhav Prasad Chamlagain, que representa os deficientes membros da Federação de Jornalistas Nepaleses.

"O Supremo decidiu em favor das pessoas com deficiência. Não é só uma vitória pessoal, o veredito é para todos os portadores de necessidades especiais", comemorou Chamlagain, que tem um problema de mobilidade na perna direita.

"Há muitas provas de nossas capacidades, podemos fazer tudo que uma pessoa normal pode fazer e não há provas de que não temos capacidade para escalar o Everest. Nossos direitos estão garantidos pela Constituição, mas, mesmo assim, a sociedade continua limitando nossas capacidades de maneira arbitrária", disse Chamlagain.

No dia 28 de dezembro do ano passado, o governo nepalês decidiu proibir os biamputados e os cegos de escalarem o Everest, com o argumento que era necessário reduzir os acidentes e mortes, com uma emenda à lei que regulamenta o montanhismo no país.

A nova determinação entrou em vigor em janeiro, mas Chamlagain apresentou um recurso no Supremo e conseguiu que um tribunal suspendesse a medida de forma temporária.

Em maio, antes que a máxima instância judicial se pronunciasse de maneira definitiva, um escalador chinês de 70 anos que perdeu as duas pernas por causa de um linfoma em 1996, Xia Boyu, conseguiu chegar ao topo do Everest após obter a permissão de escalada.

Boyu se transformou no primeiro biamputado das pernas que conseguiu completar tal façanha pela face sul do Everest, que fica do lado nepalês, depois que o neozelandês Mark Inglis conseguiu escalar a montanha mais alta do mundo, com 8.848 metros de altitude, pela face norte, que fica do lado chinês, em 2006.

O americano Erik Weihenmayer foi o primeiro cego a escalar o Everest, em maio de 2001, e Sudarshan Gautam se transformou no primeiro biamputado dos braços que chegou ao teto do mundo em maio de 2013.