PUBLICIDADE
Topo

Tribunal decide tornar ex-primeiro-ministro do Paquistão inelegível

27/06/2018 13h33

Islamabad, 27 jun (EFE).- Um tribunal paquistanês tornou inelegível nesta quarta-feira o ex-primeiro-ministro Shahid Khaqan Abbasi por "ocultar fatos e não revelar toda as informações a seus eleitores", o que representa um novo golpe para o seu partido a menos de um mês das eleições gerais de 25 de julho.

"Abbasi é culpado por ocultar fatos e não revelar todas as informações a seus eleitores, não é uma pessoa honesta e correta, declaro que não está qualificado para ser eleito como membro de um Parlamento, de acordo com o artigo 62 da Constituição", afirmou o juiz Ibadur Rehman na sua sentença.

A candidatura do ex-primeiro-ministro foi levada aos tribunais por um cidadão paquistanês, Masood Ahmed Abbasi, que o acusou de não revelar todos seus bens à Comissão Eleitoral do Paquistão antes do pleito, como estabelece a lei.

O juiz indicou que o político declarou uma casa em Islamabad no valor de 300 mil rúpias (R$ 9,4 mil), mas a hipoteca da mesma é de 24,7 milhões de rúpias (R$ 776 mil).

Em sua decisão, contra a qual cabe recurso em um tribunal superior, o magistrado concluiu que Abbasi revelou diferentes bens em diferentes declarações nas duas circunscrições pelas quais se candidatava às eleições, relacionados aos imóveis que possui e suas ações na companhia aérea Air Blue.