Topo

Navios-patrulha da Líbia interceptam 276 imigrantes em águas internacionais

03/07/2018 08h55

Trípoli, 3 jul (EFE).- Navios-patrulha da Líbia interceptaram em águas internacionais nas últimas horas 276 pessoas que tentavam de chegar à Europa em três embarcações precárias que zarparam de praias do país norte-africano, informou nesta terça-feira à Agência Efe o porta-voz da guarda costeira local, o general de brigada Ayoub Qasim.

A primeira operação aconteceu na madrugada de segunda-feira a cerca de 35 milhas do litoral, em frente à cidade de Qarabuli, um dos redutos das máfias dedicadas ao contrabando de pessoas, explicou Qasim.

A segunda e a terceira aconteceram no mesmo dia, a 44 e 50 milhas, respectivamente, das praias da cidade de Al Hamis, uma área fora da jurisdição dos navios-patrulha líbios.

"Entre os resgatados havia 29 mulheres e 54 crianças procedentes de 14 países da África Subsaariana, além de uma pessoa originária do Egito e 29 do Sudão. O primeiro dos botes infláveis tinha começado a afundar quando a patrulha chegou", afirmou o porta-voz.

"Todos foram levados para uma base naval perto de Trípoli, e dali foram transferidos para centros de acolhimento", detalhou Ayoub, que garantiu que as autoridades estão investigando se há pessoas que estavam no primeiro bote que estão desaparecidas.

As praias que se estendem entre Trípoli e a fronteira com a Tunísia se transformaram nos últimos dois anos no principal reduto das máfias que traficam seres humanos, apesar da presença de navios-patrulha europeus.

Segundo dados da Organização Internacional para as Migrações (OIM), mais de 171.635 imigrantes irregulares conseguiram chegar à Europa em 2017 através da travessia do Mediterrâneo, e outros 3.116 desapareceram no mar.

A mesma organização, vinculada ao Sistema ONU, afirmou que, ao longo deste ano, outras 16.585 pessoas conseguiram chegar ao território europeu apenas pela chamada "rota central" do Mediterrâneo, que parte da Líbia, e 1.068 morreram afogadas.

Esta semana, patrulheiras líbias interceptaram cerca de 1.200 imigrantes em frente ao litoral oeste do país.

Além disso, cerca de uma centena de pessoas desapareceram no mar depois que um barco de madeira pegou fogo e afundou.