PUBLICIDADE
Topo

Confronto com exército termina com 3 civis mortos na Caxemira indiana

07/07/2018 18h57

Nova Délhi, 7 jul (EFE).- Pelo menos três pessoas morreram, entre elas uma menor, quando o exército tentou dispersar neste sábado um grupo de civis na Caxemira indiana que lançava pedras contra seus soldados, na véspera do aniversário de uma onda de protestos que terminou com mais de 100 mortos e 10.000 feridos.

"Uma patrulha do exército no distrito de Kulgam foi apedrejada por malfeitores quando se locomovia esta tarde pela área de Hawoora-Mishipora. Por conseguinte, o exército tentou dispersar os malfeitores e, no processo, cinco indivíduos ficaram feridos", informou a polícia da Caxemira em comunicado.

De acordo com a nota, os feridos foram transferidos a um hospital da região, onde três deles morreram, enquanto os outros dois estão em condição estável.

O incidente aconteceu um dia antes do segundo aniversário do início de uma onda de protestos que começou em julho de 2016 após a morte de um conhecido jovem insurgente separatista, Burkhan Wani.

Essas manifestações se prolongaram durante meses e se saldaram com mais de 100 mortos e mais de 10.000 feridos, mais de mil deles com lesões oculares pelo uso de balas de chumbo por parte da polícia e do exército.

A Caxemira indiana é a única região deste país asiático com maioria muçulmana.

A Índia e o Paquistão reivindicam sua completa soberania desde a partilha do subcontinente e sua independência do Império britânico em 1947.

Desde então as duas nações travaram duas guerras e vários conflitos bélicos por este território, separado por uma fronteira provisória que divide a parte administrada por cada um dos dois países e que é uma das zonas mais militarizadas do mundo.