PUBLICIDADE
Topo

Ataque contra grupo da minoria árabe deixa 3 mortos no Mali

08/07/2018 16h40

Bamaco, 8 jul (EFE).- Pelo menos três ativistas de um grupo da minoria árabe no Mali, ligado ao governo, morreram e outras três pessoas ficaram feridas em um ataque a tiros cometido neste domingo na cidade de Timbuktu, informaram à Agência Efe fontes de segurança.

O ataque foi executado no bairro de Sankoré por homens desconhecidos, que se deslocavam em duas motos e fugiram depois de disparar uma rajada de balas contra membros de uma facção pró-governo do Movimento Árabe de Azawad (MAA).

Está facção, cujos dirigentes foram atacados hoje, faz parte da aliança ligada ao governo composto pelo grupo Gatia e o Movimento de Salvação do Azawad (MSA).

Em comunicado, a aliança Gatia-MSA condenou o assassinato de seus integrantes, de entre 50 e 60 anos de idade, e acusou a organização jihadista radical Estado Islâmico do Grande Saara (filial do Estado Islâmico) de cometê-lo.

O Movimento Arabe de Azawad foi criado em abril de 2012, no meio da rebelião dos tuaregues, para defender uma ampla autonomia para a região setentrional de Azawad e em 2014 o grupo se dividiu em duas facções com base na sua lealdade ou oposição às autoridades de Bamaco.

No último dia 22 de maio, cinco tuaregues malineses morreram em confrontos entre um grupo armado da aliança Gatia-MSA e a facção rebelde do MAA.

Os confrontos entre tuaregues são relativamente frequentes em Mali e costumam coincidir com os enfrentamentos de grupos jihadistas com o Estado ou com a missão da ONU (Minusma), ou com as disputas da etnia peul e os bambara, o que transforma o Mali em um dos países mais instáveis do Sahel.