PUBLICIDADE
Topo

Israel derruba caça sírio que entrou no espaço aéreo sob o seu controle

24/07/2018 11h26

Jerusalém, 24 jul (EFE).- O exército israelense derrubou nesta terça-feira com dois mísseis um avião de combate da Síria que adentrou por dois quilômetros no espaço aéreo que Israel controla nas Colinas de Golã, informou em comunicado.

"Há pouco, foram lançados dois mísseis Patriot contra um avião de combate sírio Sukhoi que entrou no espaço aéreo israelense", detalharam as forças de Israel na nota, na qual acrescentaram que a aeronave "foi interceptada pelos mísseis" no espaço aéreo das Colinas de Golã ocupadas.

O porta-voz militar Jonathan Conricus esclareceu que o caça derrubado caiu na parte síria e assinalou que o exército ainda não pôde determinar se a incursão foi ou não deliberada, e que desconhece o destino do piloto do avião.

Conricus afirmou que a atividade militar aumentou na região nos últimos dias e que o exército israelense enviou "mensagens de alerta por vários canais e em vários idiomas", inclusive através da Força das Nações Unidas de Observação da Separação (UNDOF, na sigla em inglês), presente na área desmilitarizada.

A última vez que Israel derrubou um avião sírio foi em setembro de 2014, detalhou Conricus.

O exército israelense indicou que, "desde o início da manhã houve um aumento nos combates internos na Síria", incluído um aumento "na atividade" das forças aéreas governamentais sírias.

O porta-voz militar tinha informado em comunicado anterior que as sirenes antiaéreas soaram em várias populações do conselho regional de Emek HaYarden, na região da Galileia, assim como na cidade de Katzrin, nas Colinas do Golã ocupadas por Israel desde 1967.

O exército advertiu que "continuará operando contra o descumprimento do Acordo de Separação de Forças de 1974", o cessar-fogo que estabelece uma região desmilitarizada nas Colinas de Golã entre os dois países que estão tecnicamente em guerra.

A tensão aumentou na área desde que o regime de Bashar al Assad lançou uma ofensiva militar para recuperar o território controlado por rebeldes e jihadistas no sul da Síria.

Israel não quer que as forças iranianas, aliadas governamentais no conflito interno, tenham presença no país vizinho e, especialmente, perto do território controlado pelo Estado judeu.

O exército israelense ativou ontem o sistema de defesa antimíssil contra dois projéteis que acredita que provinham da luta interna síria.

Apesar do incidente de hoje, Israel garantiu que mantém sua política de não intervenção no conflito sírio.