PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Partido denuncia detenção ilegal de prefeito opositor na Nicarágua

24/07/2018 15h27

Manágua, 24 jul (EFE).- O prefeito do município de Mulukukú, Apolonio Fargas, membro do opositor Partido Liberal Constitucionalista (PLC), foi detido "ilegalmente" na Nicarágua, informou nesta terça-feira a organização política.

"O prefeito liberal do município de Mulukukú, Apolonio Fargas, foi detido ilegalmente por paramilitares e policiais que durante esta manhã entraram na Prefeitura violando a Lei de Autonomia Municipal", informou o PLC em comunicado.

Além de Fargas, foram detidos seu motorista Roberto Ortega e o segurança Nicolás Cienfuegos, acrescentou o partido.

A detenção do prefeito e de seus funcionários ocorre em meio a uma crise sociopolítica que deixou de 277 a 351 mortos, milhares de feridos e mais de 700 detidos ou desaparecidos em três meses, em protestos contra o presidente da Nicarágua, Daniel Ortega.

O país atravessa a crise mais sangrenta desde a década de 1980, também com Daniel Ortega como presidente.

A Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) e o Escritório do Alto Comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) responsabilizaram o governo da Nicarágua por "assassinatos, execuções extrajudiciais, maus tratos, possíveis atos de tortura e detenções arbitrárias", o que Ortega negou.

Os protestos contra Ortega e sua esposa, a vice-presidente Rosario Murillo, começaram em 18 de abril, após uma proposta de reforma da previdência fracassar, e se transformaram em uma exigência de renúncia do presidente, depois de 11 anos no poder, com acusações de abuso e corrupção.

Internacional