PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Macron acredita que "caso Benalla" não preocupa cidadãos franceses

25/07/2018 17h40

Paris, 25 jul (EFE).- O presidente da França, Emmanuel Macron, minimizou nesta quarta-feira a importância do chamado "caso Benalla" - o mais grave que enfrentou em seu mandato - e afirmou que "não é algo que preocupe o povo".

"As pessoas falam disso? Não. Mas as redes sociais e as pessoas que estão muito conectadas, sim... Há muita gente que não lida bem com o calor e a fadiga. É preciso tranquilidade. Já disse tudo o que tinha que dizer a respeito", disse Macron, que estava de visita em Bagnères-de-Bigorre, uma pequena cidade dos Pireneus franceses.

"Existe também o dia a dia de nossos cidadãos e o trabalho do nosso governo", acrescentou Macron, que ontem à noite se manifestou pela primeira vez diante dos deputados do seu partido sobre o caso que envolve seu ex-chefe de segurança, Alexandre Benalla, que agrediu no último dia 1º de maio manifestantes se fazendo passar por policial.

Segundo uma pesquisa divulgada hoje, mais de 70% dos franceses julgam o assunto como "grave" e dois em cada três querem que o presidente se dirija à população.

Por outro lado, o presidente francês disse que "fez o que tinha que fazer", ao aplicar uma sanção "proporcional" ao ex-segurança, e voltou a assumir as responsabilidades neste caso.

Macron também reconheceu se sentir "orgulhoso" por ter contratado Benalla, que acaba de ser demitido depois que o jornal "Le Monde" publicou na semana passada o vídeo que mostra as agressões.

"Estou orgulhoso de tê-lo contratado pela sua dedicação e sua trajetória diferente. Fez coisas muito boas, mas cometeu uma falta real grave e foi sancionado por isso", disse o presidente.

Internacional