PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Ministro romeno compara sacrifício de porcos doentes com Auschwitz

26/07/2018 12h29

Bucareste, 26 jul (EFE).- O ministro de Agricultura da Romênia, Petre Daea, causou uma onda de indignação em seu país ao comparar o sacrifício de porcos devido à peste suína com o extermínio de pessoas no campo nazista de Auschwitz durante a Segunda Guerra Mundial.

"O único método é o sacrifício. Os porcos serão incinerados com a presença das autoridades ambientais e veterinárias. É um trabalho extraordinário, lá é como em Auschwitz", disse Dea na noite de quarta-feira à emissora de televisão romena "Antena 3".

O ministro fez essas declarações ao comentar as medidas excepcionais que foram tomadas para isolar um foco de peste suína africana em uma fazenda comercial de Tulcea, no sudeste do país, onde quase 45 mil animais devem ser sacrificados.

A comparação que Daea fez da situação com o assassinato de mais de 1 milhão de pessoas - a grande maioria judeus - no maior campo de extermínio do nazismo, gerou uma onda de protestos e indignação no país do leste europeu.

As duas maiores forças da oposição parlamentar, o Partido Nacional Liberal (PNL) e a União Salve a Romênia (USR), assim como o pequeno Movimento da Romênia Unida (MRI, na sigla em romeno) pediram a renúncia imediata do titular de Agricultura.

"É incrível que um representante do governo possa ser tão irresponsável", afirmou a USR após qualificar a declaração do ministro de "inaceitável".

Para o PNL, que em carta aberta enviada ao governo nesta quinta-feira pede a destituição de Daea, a declaração é "sinistra e revela uma falta grave de empatia e decência".

"É inadmissível a comparação com uma tragédia mundial condenada pela Romênia; exigimos sua renúncia imediata", indicou, por sua vez, o MRI, fundado há um ano pelo ex-primeiro-ministro e ex-ministro de Agricultura Dacian Ciolos, em comunicado.

"Trata-se de uma declaração infeliz e incompreensível, e esperamos que o ministro entenda a gravidade de suas afirmações", escreveu a Federação das Comunidades Judaicas da Romênia em mensagem divulgada através do Facebook.

O governo de Israel, por intermédio de sua embaixada em Bucareste, também manifestou sua "consternação" e "decepção" com as declarações de Daea.

"Esperamos, no entanto, que tal associação feita pelo ministro seja devido à falta de informação detalhada sobre o que significa o Holocausto e Auschwitz, sem a intenção de ofender a memória de milhões de vítimas", disse a embaixada israelense em comunicado.

Devido à repercussão, Daea reagiu à avalanche de críticas com um pedido desculpas.

"Declaro o meu respeito a todos os membros da comunidade judaica e assumo que quis apresentar a difícil situação que os criadores de porcos enfrentam devido à peste suína africana", disse o ministro à imprensa em Bucareste, informou a agência de notícias romena "Agerpres".

"Só quis descrever os terríveis momentos que enfrentam muitos de nossos criadores de porcos e também os que administram essa crise", acrescentou o principal responsável da pasta de Agricultura.

A Romênia está em estado de alerta depois que diferentes focos de peste suína africana (PPA) se propagaram nos últimos meses em seu território.

Internacional