PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Oposição se retira da comissão de investigação de caso Benalla na França

26/07/2018 15h09

Paris, 26 jul (EFE).- O principal partido da oposição na França, Os Republicanos (centro-direita), e a legenda de esquerda radical França Insubmissa anunciaram nesta quinta-feira que estão saindo da comissão parlamentar de investigação do "caso Benalla", pois consideram que a presidência francesa está prejudicando seus trabalhos.

A oposição vem há vários dias reivindicando que o círculo mais próximo do presidente Emmanuel Macron e o próprio Alexandre Benalla, ex-segurança da presidência, compareçam diante da comissão de investigação na Assembleia Nacional.

O relator da comissão, o deputado dos Republicanos, Guillaume Larrivé, anunciou hoje que estava suspendendo sua participação na mesma até que esses comparecimentos sejam aceitos.

Para Larrivé, a presidente da comissão, Yaël Braun-Pivet, do partido do presidente Macron, tenta "prejudicar" seus trabalhos e recebe ordens diretas da presidência para que não permita uma investigação de todo o sucedido.

Outro deputado e dirigente dos Republicanos, Eric Ciotti, reivindicou a presença na comissão de Benalla e do secretário-geral do Palácio do Eliseu, Alexis Kohler, que hoje compareceu no Senado, que é controlado pela direita.

"Não aceitaremos a asfixia que querem impor a esta comissão, que é um fracasso total. Vamos dizê-lo na moção de censura que vamos apresentar", disse Ciotti ao aludir à moção que seu partido colocará nos próximos dias contra o governo.

Além disso, o deputado do França Insubmissa, Eric Coquerel, antecipou o boicote de seu partido à comissão e reivindicou a renúncia da presidente Braun-Pivet por "obstruir" as investigações.

A comissão deve interrogar amanhã o comandante da companhia da tropa de choque que Benalla acompanhava em 1º de maio quando agrediu manifestantes ao se passar por policial.

Internacional