PUBLICIDADE
Topo

Novo acidente de trânsito deixa 30 pessoas feridas na região central de Cuba

28/07/2018 15h30

Havana, 28 jul (EFE).- Pelo menos 30 pessoas ficaram feridas neste sábado, uma delas com gravidade, em um novo acidente de trânsito na província de Sancti Spiritus, na região central de Cuba, o segundo em sete dias na mesma localidade, informam os veículos de comunicação oficiais da ilha.

O acidente aconteceu de madrugada, na Estrada Nacional, quando um ônibus que ia de Baracoa para Havana, saiu da pista e tombou ao tentar voltar para ela. A informação mais recente é de que 30 pessoas ficaram feridas, sendo que 22 já tiveram alta, de acordo com a "Agência Cubana de Notícias".

Este é o quinto acidente de grande porte este ano na mesma província. No sábado passado, uma colisão entre um caminhão de carga e outro que transportava passageiros deixou 37 feridos, vários com gravidade.

No primeiro trimestre do ano, os grandes acidentes de tráfico aumentaram de maneira alarmante no país, conforme dados oficiais. A imprensa cubana diz que 2018 teve cerca de 20 mortes e 400 feridos em acidentes do tipo na ilha, mas estima-se que a quantidade real seja muito superior.

Os acidentes entre veículos são a quinta causa de morte em Cuba. Em 2017, o país registrou um acidente a cada 47 minutos. Em cinco anos, foram mais de 4.400 mortes por esta causa, segundo dados oficiais.

O presidente cubano, Miguel Díaz-Canel, pediu ao novo gabinete para analisar detalhadamente a quantidade de mortos e feridos para descobrir as razões do aumento, um assunto que "deve ser preocupação de todos", conforme o jornal "Granma".

A prevenção de acidentes de trânsito gerou um amplo debate na primeira reunião do novo Conselho de Ministros, que aconteceu na terça-feira passada. Durante o encontro, o titular dos Transportes, Adel Yzquierdo, citou como principais causas "indisciplinas sociais", sinalização inadequada, deterioração da pista e "circulação de veículos sem revisão atualizada".

Yzquierdo anunciou "um conjunto de ações desenvolvidas para reforçar a segurança viária do país em curto, médio e longo prazos", conforme o "Granma", que não especificou o conteúdo das estratégias.