PUBLICIDADE
Topo

Ex-advogado de Trump faz acordo em investigação sobre pagamentos a mulheres

21/08/2018 16h27

Nova York 21 ago (EFE).- Ex-advogado pessoal de Donald Trump, Michael Cohen fechou nesta terça-feira um acordo com os promotores que investigam os pagamentos feitos por ele a várias mulheres em nome do atual presidente dos Estados Unidos.

As informações foram reveladas pelo jornal "The New York Times", que afirmou que Cohen deve ser ouvido em um tribunal de Nova York às 16h de hoje (17h em Brasília), para que o juiz seja informado do acordo entre o advogado e os promotores que investigam o caso.

Segundo o "Times", que cita fontes com conhecimento das negociações, Cohen não se comprometerá a cooperar com os promotores.

Outros veículos da imprensa americana, como a emissora "NBC", já tinham antecipado que Cohen estava negociando com as autoridades e que o acordo poderia sair hoje mesmo, mas indicavam que as discussões focavam em outras acusações contra o ex-advogado do presidente, denunciado também por fraude fiscal e crimes bancários.

O "Times" afirma que o acordo afeta também a investigação sobre os pagamentos feitos por Cohen para silenciar mulheres sobre as relações que elas teriam tido com o presidente americano.

Entre elas está a atriz pornô Stormy Daniels, que recebeu US$ 130 mil do advogado a mando de Trump.

Como o pagamento ocorreu pouco antes das eleições presidenciais vencidas por Trump, as autoridades americanas investigam se Cohen e o republicano infringiram as regras de financiamento de campanha.

Segundo o "Times", Cohen se declarará culpado nesse e em outros casos investigados pelos promotores. A informação também é confirmada pelo "Daily News", outro dos jornais de Nova York.

O FBI fez uma operação de busca e apreensão no escritório de Cohen em Nova York no dia 9 de abril. Foram confiscados documentos relacionados com diferentes assuntos, entre eles os pagamentos que o advogado teria feito a Stormy Daniels.

Recentemente, o próprio Cohen vazou à "CNN" uma gravação na qual ele e Trump conversam antes das eleições sobre possível outro pagamento para silenciar a ex-modelo da Playboy Karen McDougal, que também afirma ter tido uma relação com agora presidente.

Cohen tinha sugerido que estava disposto a dar informações sobre Trump às autoridades em troca de evitar uma pena de prisão.