PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Determinantes para legislativas, Arizona e Flórida se preparam para primárias

27/08/2018 17h37

Raquel Godos

Phoenix (EUA), 27 ago (EFE).- A terça-feira será de primárias legislativas no Arizona e na Flórida, estados importantes para as eleições americanas de meio de mandato (conhecidas como "midterm"), que poderão fazer a balança pesar a favor de democratas ou republicanos no Congresso.

No Arizona, a briga pelo assento que o conservador Jeff Flake deixará vago no Senado será uma das disputas que criará mais expectativa das eleições. Os democratas veem a saída do senador como uma oportunidade única para ganharem força em um estado que cada vez mais se afasta da direita.

Três republicanos competirão pela indicação do partido na terça-feira: Martha McSally, mais afim ao "establishment" e com um discurso mais moderado; Kelli Ward, fervorosa defensora do presidente Donald Trump; e o ex-xerife do condado de Maricopa Joe Arpaio, conhecido pelas polêmicas práticas para deter imigrantes.

McSally, que atualmente integra a Câmara dos Representantes, é quem desponta nas pesquisas ao monopolizar os votos dos conservadores mais centristas e se beneficiar com a indecisão dos seguidores de Trump, mais à direita, que se dividem entre Ward e Arpaio.

A favorita entre as candidatas democratas ao Senado é a congressista Kyrsten Sinema, que terá uma rival considerada menos complicada, a advogada Deedra Abboud, o que a permite se concentrar com campanha e arrecadação para novembro, enquanto os republicanos travam uma batalha mais apertada e desgastante.

Quanto à Câmara de Representantes, a circunscrição mais competitiva do Arizona é a que a republicana McSally deixou vaga ao se candidatar ao Senado: o 2º Distrito Congressional, situado na fronteira com o México, ao sudeste do estado.

Foi nesse distrito que a ex-candidata presidencial democrata Hillary Clinton venceu por 5 pontos percentuais em 2016 o atual governante, Donald Trump, motivo pelo qual os democratas acreditam ter fortes chances de levar a cadeira.

Tudo indica que a democrata Ann Kirkpatrick, que já foi congressista pelo Arizona, vencerá entre os sete pré-candidatos à indicação do partido. O principal rival será o ex-representante estadual Matt Heinz, quem já desafiou McSally sem sucesso em 2016.

A principal republicana na disputa por esse distrito é a latina Lea Marquez-Peterson, que não conseguiu arrecadar tanto como os dois democratas no topo das pesquisas e que também enfrentará uma forte concorrência com outros três candidatos.

A outra região que chamará atenção será o primeiro distrito do Arizona, onde o democrata Tom O'Halleran busca a reeleição em um território onde Trump ganhou por pouco em 2016.

Desta forma, este estado se apresenta como um dos mais competitivos e determinantes neste ciclo eleitoral nos EUA, onde os democratas buscam levar pelo menos uma das duas câmaras do Congresso, ambas sob o controle dos republicanos no momento.

Enquanto isso, na Flórida a batalha das primárias se mostra crucial, especialmente pelo duelo entre o republicano Rick Scott e o democrata Bill Nelson por um lugar no Senado.

De acordo com uma pesquisa do dia 21 de agosto da Flórida Atlantic University (FAU), Scott, atual governador do estado, tem uma vantagem de seis pontos percentuais sobre Nelson.

Os democratas acreditam que o clima político potencialmente favorável pode fazer a diferença para Nelson na disputa com Scott, que conta com um investimento milionário na campanha.

Também está em jogo nestas primárias a cadeira da congressista republicana Ileana Ros-Lehtinen, que anunciou a renúncia ao assento no ano passado.

Pelo distrito 27, em mãos de Ros-Lethinen, que não concorreu à reeleição, há 15 candidatos registrados, entre eles a jornalista María Elvira Salazar e a filha do famoso cantor cubano Willy Chirino, Angie, ambas republicanas.

Os democratas têm Donna Shalala, ex-presidente da Universidade de Miami e da Fundação Clinton, e o representante estadual David Richardson.

Internacional