PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Ex-candidato à Presidência da Guatemala desiste de pedir asilo nos EUA

27/08/2018 14h02

Guatemala, 27 ago (EFE).- O ex-candidato à Presidência da Guatemala Manuel Baldizón, detido em Miami desde janeiro deste ano, anunciou nesta segunda-feira que desistiu de continuar insistindo no pedido de asilo à Justiça dos Estados Unidos e solicitou a sua deportação.

"Decidi desistir da mesma para poder comparecer diante da Justiça guatemalteca e esclarecer a minha situação jurídica. Isto leva à consequência legal de parar imediatamente e de forma definitiva o pedido de asilo que tinha formulado às autoridades americanas", afirmou Baldizón em um comunicado.

O político, duas vezes ex-candidato presidencial guatemalteco (2011 e 2015) é acusado pela Procuradoria Especial Contra a Impunidade (Feci) e pela Comissão Internacional Contra a Impunidade na Guatemala (Cicig) de ter recebido US$ 1,2 bilhões em propinas da construtora Odebrecht.

Baldizón foi detido no aeroporto internacional de Miami no último dia 21 de janeiro em razão de uma ordem de detenção lançada pela Interpol na qual é acusado dos crimes de formação de quadrilha, corrupção passiva e lavagem de dinheiro e outros ativos.

Desde então, está preso no centro de detenção Krome, na Flórida, e na última quinta-feira voltou a reconhecer que "pode ter cometido erros", por isso disse que é necessário "buscar o mecanismo legal para corrigir os mesmos".

"Não falo de crimes, já que esse termo implica a intenção de cometer ou realizar determinada ação com dolo, e essa jamais foi nem seria a minha intenção", diz a nota assinada por Baldizón, que espera que sua "deportação voluntária" à Guatemala aconteça o mais rápido possível.

O político também disse que o objetivo desta mudança de decisão é "servir de exemplo para todas as pessoas que, assim como eu, tenham cometido erros ou falhas, para que reconheçam com humildade os mesmos e que se aproximem das autoridades competentes" para solucioná-los.

Internacional