PUBLICIDADE
Topo

Sírio e iraquiano suspeitos de matar alemão são detidos no leste do país

27/08/2018 12h17

Berlim, 27 ago (EFE).- Uma Procuradoria da Alemanha ditou nesta segunda-feira ordem de detenção contra um sírio e um iraquiano, suspeitos de ter esfaqueado na madrugada de domingo um alemão, que morreu após ser internado em um hospital, informaram veículos de imprensa locais.

Segundo a Promotoria de Chemnitz, no leste do país e onde no domingo houve uma manifestação contra a criminalidade estrangeira, o sírio, de 23 anos, e o iraquiano, de 22, estão presos preventivamente acusados de homicídio.

As investigações continuam em torno dos motivos e as circunstâncias exatas da agressão, assim como da arma utilizada.

Os dois homens são acusados de ter dado após uma briga várias facadas na vítima, um cidadão alemão de origem cubana de 35 anos, indicou a revista "Der Spiegel" em seu site.

O deputado do partido de extrema-direita Alternativa para a Alemanha (AfD) Markus Frohnmaier convocou abertamente os cidadãos no domingo na rede social Twitter para fazer justiça com as próprias mãos.

"Se o Estado já não pode proteger os cidadãos, o povo sai às ruas para se proteger a si mesmo. Simples assim. Hoje a obrigação dos cidadãos é conter a 'mortal imigração dos que portam uma faca'. Poderia ter sido seu pai, seu filho ou seu irmão", escreveu.

O governo alemão, através do seu porta-voz, Steffen Seibert, condenou hoje qualquer tipo de "assédio" contra estrangeiros e declarou que "na Alemanha não há espaço para fazer justiça com as próprias mãos, para grupos que querem propagar o ódio nas ruas, para a intolerância e para o extremismo".

"O que sabemos é que em Chemnitz, na noite de sábado para domingo, uma pessoa foi assassinada e isso é terrível", afirmou o porta-voz, que ressaltou que a polícia esclarecerá o caso, como ocorre em um Estado de direito quando acontece um crime.