PUBLICIDADE
Topo

Grécia detém membros de ONG por tráfico de imigrantes e falsificação

28/08/2018 09h40

Atenas, 28 ago (EFE).- A polícia grega deteve três membros de uma ONG, dois deles estrangeiros, como suspeitos de pertencer a uma rede de tráfico de imigrantes e refugiados, informou nesta terça-feira a instituição.

Segundo um comunicado da polícia da Ilha de Lesbos, suspeita-se que os três detidos e outros 27 membros e voluntários da ONG grega, 22 deles estrangeiros, faziam parte de uma rede de traficantes e atuavam em Lesbos e Samos desde 2015.

De acordo com alguns veículos de imprensa locais, trata-se da ONG ERCI (Emergency Response Centre International), fundada em 2015 na Grécia por um empresário especializado em segurança marítima em zonas de conflito.

Os membros da rede supostamente facilitaram a chegada à Grécia de centenas de imigrantes desde agosto de 2016 até janeiro de 2018.

Os supostos traficantes detidos são acusados de filiação a um grupo criminoso, falsificação de documentos, espionagem, lavagem de dinheiro e violação da legislação de migração.

A investigação da polícia começou em fevereiro, quando membros da Guarda Costeira detiveram em Lesbos um alemão e uma síria em um carro 4x4, pintado com as cores das Foraças Armadas gregas.

Esse mesmo carro tinha sido detectado em vários pontos de chegada das embarcações de refugiados, sempre com uma matrícula do Exército falsa.

Segundo a polícia, os membros da rede recebiam mensagens cifradas sobre a concentração de refugiados no litoral turco, o número de embarcações que saíam para a Grécia e seu destino concreto.

Além disso, seguiam sistematicamente as comunicações da Guarda Costeira grega e dos europeus da Frontex.

Em 2015, quando explodiu a crise de refugiados, centenas de ONGs se instalaram nas ilhas do Egeu para ajudar os milhares que chegavam a cada dia.

A rede cujos membros foram detidos recebeu grande quantidade de dinheiro nas contas bancárias da ONG, de acordo com a polícia.