PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Ex-ministro principal da Escócia deixa partido após denúncias de assédio

29/08/2018 19h17

Londres, 29 ago (EFE).- O ex-ministro principal da Escócia, Alex Salmond, apresentou nesta quarta-feira sua renúncia do Partido Nacionalista Escocês (SNP) por causa de denúncias de assédio sexual, que ele nega.

Em comunicado, o político escocês afirmou que procura assim evitar divisões internas na legenda nacionalista, após alguns pedidos para que fosse suspenso.

O antigo ministro principal, que não conseguiu a independência da Escócia no referendo realizado na região em 18 de setembro de 2014, ressaltou que tem a intenção de voltar a unir-se ao SNP uma vez que possa restabelecer sua reputação.

O governo autônomo escocês tinha realizado uma investigação interna sobre as denúncias contra Salmond e decidiu na semana passada enviá-las à polícia, mas o político negou ter exercido qualquer tipo de assédio quando esteve à frente do Executivo escocês e qualificou as acusações de "ridículas".

Salmond informou sua decisão através de um vídeo divulgado nesta noite aos meios de comunicação, no qual detalhou que tinha escrito à secretaria geral do partido para comunicar a renúncia.

"Fui membro do Partido Nacionalista Escocês durante 45 anos, 20 deles como líder da legenda e sete como ministro principal da Escócia", afirmou Salmond, que manifestou sua esperança de ter trabalhado duro a favor da independência escocesa.

"Realmente amo o SNP e o amplo movimento independentista na Escócia. Estes foram compromissos decisivos na minha vida. Mas hoje escrevi à secretaria geral do partido para renunciar à minha afiliação", lamentou na sua mensagem.

Além disso, reconheceu que a ministra principal escocesa, Nicola Sturgeon, enfrentava pressões de outras formações políticas para que ele fosse suspenso do partido nacionalista.

"Não entrei na política para facilitar os ataques da oposição ao SNP e, como o parlamento volta (às suas sessões) na próxima semana, apresentei minha demissão para dissipar estes ataques da oposição", esclareceu.

Na semana passada, Salmond anunciou que apresentou um processo contra o governo escocês por considerar que não lhe permitiu defender-se durante a investigação interna que foi realizada.

Segundo a imprensa escocesa, as denúncias de assédio foram feitas em janeiro deste ano por duas pessoas que faziam parte do pessoal do Executivo quando Salmond ainda era ministro principal.

Os incidentes teriam acontecido, de acordo com a imprensa, presumivelmente em dezembro de 2013 na Bute House, a residência oficial do ministro principal em Edimburgo.

Salmond foi ministro principal da Escócia de 2007 até 2014, depois que, no referendo de independência do Reino Unido, 55% dos escoceses votaram contra a separação.

Este resultado desencadeou sua renúncia e sua substituição por Sturgeon à frente do governo e do SNP.

Internacional