PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Opositor russo Kara-Murza será um dos carregadores do caixão de McCain

29/08/2018 14h20

Washington, 29 ago (EFE).- O dissidente russo Vladimir Kara-Murza será um dos responsáveis por carregar o caixão do senador republicano John McCain, que morreu no final de semana passado e cujo funeral acontecerá no sábado na catedral de Washington, informou nesta quarta-feira a imprensa americana.

Antes de morrer, foi o próprio McCain quem solicitou ao russo sua participação na cerimônia fúnebre.

Outros dos carregadores serão o ex-vice-presidente democrata Joe Biden, o ex-prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, e o veterano ator Warren Beatty; uma escolha que foi interpretada por diversos analistas como um último gesto do senador em defesa da unidade do país.

Por outro lado, a escolha do russo foi recebida como um último golpe contra o presidente Donald Trump, com quem McCain manteve uma tensa relação devido, entre outros motivos, à simpatia do governante com o Kremlin.

McCain e Kara-Murza colaboraram em uma iniciativa para batizar o trecho da rua onde se encontra a embaixada russa em Washington, que fica na avenida Wisconsin, como Boris Nemtsov Plaza, um opositor russo assassinado em fevereiro de 2015 junto ao Kremlin quando investigava a morte de soldados russos na Ucrânia.

Na segunda-feira a Casa Branca viveu uma tempestade política pela recusa inicial de Trump a emitir um comunicado elogioso a McCain após sua morte e a colocar a meio-mastro a bandeira da residência oficial, assim como as de outros edifícios oficiais, que só ficaram assim por algumas horas.

Finalmente, diante das críticas, o presidente recuou e acabou mandando baixar novamente a bandeira.

Mas até lá já tinham sido divulgadas várias imagens do emblema nacional içado no topo da haste, o que tinha indignado diversas associações de veteranos.

Devido ao passado de McCain como capitão da Marinha, uma das imagens mais controversas foi a da bandeira do Pentágono tremulando normalmente.

Na terça-feira, o secretário de Defesa, James Mattis, não quis entrar em polêmicas e se limitou a elogiar a figura do ex-combatente, lembrando que também será um dos carregadores do caixão de McCain no seu enterro, que acontecerá no domingo na base naval de Annapolis, em Maryland.

Nesse sentido, Mattis afirmou que era uma "honra" que lhe tinha pedido o próprio senador "há meses".

Internacional