PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Sánchez confirma ajuda milionária da UE à A. Latina por crise venezuelana

30/08/2018 19h14

(Atualiza com novas declarações).

Bogotá, 30 ago (EFE).- O presidente do governo da Espanha, Pedro Sánchez, confirmou nesta quinta-feira a aprovação por parte da União Europeia (UE) de 35 milhões de euros em ajuda humanitária para que a América Latina consiga lidar com o êxodo de venezuelanos que fogem da crise do seu país.

"O governo da Espanha fez seus ofícios também no marco da União Europeia, e precisamente hoje em Bruxelas foi lembrado que serão 35 milhões de euros os que a União Europeia colocará à disposição da região da América Latina para fazer frente a esta crise migratória", disse Sánchez em Bogotá depois de se reunir com o presidente da Colômbia, Iván Duque.

Sánchez se reuniu com Duque em Bogotá por ocasião da visita oficial que iniciou ontem à capital colombiana no marco da sua viagem por quatro países latino-americanos.

A Comissão Europeia anunciou no último dia 7 de junho em Bruxelas a concessão de um novo pacote de ajuda humanitária de emergência e desenvolvimento de 35 milhões de euros para ajudar o povo venezuelano, assim como os países vizinhos afetados pela crise socioeconômica desse país.

Sobre a situação política da Venezuela, Sánchez afirmou que "não se pode chamar de democracia um sistema que tem presos políticos, tem presos pelas suas ideias".

Por sua parte, Duque agradeceu a Sánchez "sua preocupação com a crise migratória" e garantiu que "a Colômbia é um país que abriu suas portas com fraternidade aos venezuelanos, vítimas de uma ditadura oprobriosa que foi eliminando as liberdades e que se arruinou economicamente".

Nesse sentido, Sánchez destacou a solidariedade da Colômbia por estar acolhendo mais de um milhão de venezuelanos que fugiram do seu país.

"O governo da Espanha expressa sua solidariedade com o povo colombiano (...) porque a Colômbia está acolhendo atualmente mais de um milhão de seres humanos venezuelanos que estão saindo em êxodo em massa como consequência da crise política, econômica, e social que se vive na Venezuela", comentou o presidente do governo espanhol.

Nesta primeira visita à América Latina, cujo objetivo é fortalecer a relação e reforçar o diálogo com os países da região, Sánchez visitou Chile e Bolívia, e depois da Colômbia viajará à Costa Rica.

Internacional